Gigantes adormecidos

Bem, se calhar esta não é a melhor tradução para sleeper cars, mas é sem dúvida a mais sonante!
Sleeper cars, também conhecidos como Q-cars ou (a partir de agora) gigantes adormecidos, são carros que parecem latas, banheirões ou simplesmente carros banais, mas que na realidade “andam de car@!#0!”
Tipo um 205 GTI? Não, esse basta olhar que se percebe logo que há ali qualquer coisa rápida ou especial, mais que não seja porque toda a gente sabe que GTI quer dizer que anda bem. Excluí também aqui os carros de marcas tipo BMW e Mercedes pois são carros que por natureza já são vistos como premium. Estou a falar por exemplo disto:
IMG_2259
A Volvo 850R que parecia uma carrinha familiar normal mas que em 1996 já vinha com 250 cavalos e chegava facilmente aos 250km/h. A 850R era uma versão melhorada da 850T5-R que tinha 240cv e tinha sido desenvolvida em conjunto com a Porsche.
Uma pesquisa no Google certamente que vos vai trazer muitos resultados sobre carros destes, mas há aqueles dos quais não se fala muito e que é uma pena, pois são carros fantásticos e que normalmente são das décadas 80-90.
Na Renault temos o Renault 21 2L Turbo que já em 1987 vinha com 175 cavalos e, como o nome indica, um motor 2.0 Turbo com injeção eletrónica. Um carro que no nosso país é bastante valorizado no mercado dos clássicos com valores a chegar perto dos 9 mil euros.
r21turbo
Também na Renault tínhamos ainda na gama acima o Renault 25 V6 Turbo Baccara com 205cv e que já naquela altura chegava dos 0-100 em 7 segundos. De seguida veio o Renault Safrane Biturbo com o motor de 260cv do Alpina A610 mas que acabou por não ter muito sucesso e apenas cerca de 800 saíram da fábrica…
Continuando por terras francesas tivemos também alguns concorrentes bem interessantes, como o caso do Citroën XM V6 24v que com o seu motor 3.0 já debitava 200cv em 1990. Para além disso contava com aquela suspensão hidro-pneumática auto-nivelante da Citroën e umas linhas vanguardistas. Mas em vez de ser eu a falar, deixo-vos aqui este vídeo que fala por si. Para mim, um dos melhores anúncios de carros; sem palavras, sem prestações, sem efeitos especiais – apenas um homem, um carro e uma(s) estrada(s).
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=b8EZzYJ5UtQ&w=560&h=315]
Vamos agora a Itália a um verdadeiro gigante adormecido, ou neste caso mais comatoso do que adormecido. É que o Lancia Thema nunca foi propriamente fiável, mas mesmo assim merece um espaço aqui no nosso artigo porque… tem um motor Ferrari. Sim, leram bem! O Lancia Thema 8.32 tinha o mesmo 3.0 V8 do Ferrari 308 mas com “apenas” 215 cavalos para ser mais adaptado a uma berlina de 4 portas. Ainda assim chegava dos 0-100km/h em 6.8 segundos, o que para um carro deste tamanho não era nada mau em 1987. Ah, e tinha um spoiler que levantava da mala – em 1987!
Convém referir que se calhar menos conhecido mas com prestações bastante equivalentes, tínhamos também a versão 2.0 Turbo 16 válvulas que debitava 205 cavalos e não ficava atrás do seu irmão mais musculado. O mais incrível é que já se encontra esta versão, em bom estado, por cerca de 3000 euros em Portugal… dá que pensar.
1986-lancia-thema-8-32.jpg
Em boa verdade estava hesitante em trazer à baila o próximo modelo, mas com uma aparência bastante aborrecida, 220 cavalos e tração integral, seria um falhanço um bocado grande. A marca Subaru sempre esteve ligada a carros vistosos por causa dos Impreza WRX de rali, mas esta versão que podem ver na foto abaixo é, no mínimo, discreta. Com um motor boxer 2.0 de dupla árvore de cames à cabeça, 220 cavalos e tração integral, o Subaru Legacy Turbo é um autêntico lobo em pele de cordeiro adormecido. Escusado será dizer que será raro encontrarem um em Portugal.
Subaru~Legacy~(2)
Quem segue o Histórias há mais tempo deve saber que eu sou o (orgulhoso?) proprietário de um outro gigante adormecido, o Peugeot 405Mi16, o meu leão adormecido. Mas a primeira coisa que me disseram quando o comprei foi: “compraste um chaço!” ao que eu prontamente e alegremente respondi: “eu sei!”. Porque esta é a magia deste tipo de carros, ninguém dá nada por eles até serem ultrapassados por um a mais de 220km/h na A1, como aconteceu quando eu e o David vínhamos do Caramulo Motor Festival. Vocês não imaginam a cara das pessoas ao volante dos seus A3 e Mercedes 220CDI AMG que olhavam para o lado, viam “um chaço”, olhavam para o conta-quilómetros – viam que iam a 200, e depois já só viam a minha traseira.


Em boa verdade este carro em particular já me trouxe muitas alegrias mas também muitos dissabores. O anterior dono tratou-o muito mal e agora ando a sofrer as consequências, ao ponto de que não me lembro de terminar uma viagem grande com ele. A boa notícia é que espero em 2018 ou 2019 já o ter restaurado e posto a andar como ele merece! O leão tem que sair deste coma prolongado e rugir como deve ser!
Se o quiserem ouvir a rugir, vejam aqui um dos primeiros vídeos do Histórias Sobre Rodas:
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=V0UHb3AJTcU&w=560&h=315]

One Comment

  • Tomasinni diz:

    Como o entendo amigo. Sou proprietario de uma V70R da volvo 2.3 turbo a gasolina. Caixa de sapatos, tijolo, chaço, jubiraca velha, carro de velho, xuning old school, bom, dezenas de nomes depreciativos, até se colar a 200 km/h na traseira de berlinas alemãs e passa-las a 260km/h… um gozo. Alem de que tenho no mesmo carro, um desportivo, um familiar, um carro bastante seguro e fiável (320.000kms, zero problemas) e muito, muito confortavel (bancos aquecidos e eléctricos com memória). Trocar para que? Cumps

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.