E se viermos a gostar dos carros elétricos?

Ou melhor: e se os carros elétricos forem as novas caixas automáticas?

Se calhar esta precisa de explicação. Até bem recentemente, todo e qualquer amante de carros que se prezasse tinha que odiar as caixas automáticas. Ainda hoje há muita gente que pensa assim, mas a verdade é que elas vieram para ficar, já provaram ser muito melhores que as manuais e até nós já nos rendemos a elas. Mas isto já o discutimos no Youtube. Agora a questão é se será que daqui por uns anos veremos os automóveis elétricos desta forma.

Quem nos acompanha no instagram já deve ter reparado que temos feito algumas referências a algo eletrizante. No próximo domingo vamos partir para a aventura e vamos (tentar!) fazer a Estrada Nacional 2 com um carro elétrico – o novíssimo Hyundai Kauai Electric. Convém dizer que é algo que ainda nenhuma outra publicação automóvel tentou, pelo menos que nós saibamos. A ideia é fazê-lo no menor tempo possível e chegar de volta ao Norte sem ficar pelo caminho.

Mas de volta ao título. Até há bem pouco tempo, os carros elétricos eram vistos como uma coisa sem futuro, demoravam a carregar e não davam para mais do que 100 quilómetros. Mas as coisas estão a mudar e para terem uma ideia, o Kauai Electric tem uma autonomia real de 450 quilómetros (546km NEDC) e o novo Tesla Model S Long Range anuncia uma autonomia de 610 quilómetros. Conheço muitas berlinas de luxo que não conseguem essa autonomia. Para além disso, o Hyundai consegue ainda carregar as baterias até 80% em 54 minutos numa estação de carregamento rápido.

Há claro desvantagens, nomeadamente o carregamento normal que demora 9h35m e o carregamento numa tomada de casa que demora 31 horas. Mas a verdade é que também as caixas automáticas eram lentas e agora são mais rápidas que um piscar de olhos.

Há também ainda a questão ecológica, mas mesmo essa tem vindo a ser desmistificada com muitos relatórios recentes a afirmarem que a pegada ecológica dos carros elétricos é pouco mais pequena do que a dos veículos com motor de combustão interna. Este é um dos principais motivos que tem sido avançado para a mobilização elétrica, mas isso são estratégias políticas e económicas que não interessam a ninguém. Se queremos salvar o ambiente há muitas outras formas de o fazermos que têm um impacto bem maior.

Já conduzi vários carros elétricos e poucos me seduziram, tanto pela autonomia, como pela performance em estrada sinuosa ou até mesmo pela estética. Se me perguntassem aqui há uns anos se eu acreditaria num futuro movido a carros elétricos eu prontamente diria que não. Hoje já não sei. Na próxima semana poderei saber. É que este novo Kauai Electric promete. Acompanhem-nos nas redes sociais pois nos próximos dias vamos partilhar esta experiência convosco. Youtube Instagram Facebook

There are no comments yet

Why not be the first

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *